quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Festas religiosas em diferentes religiões!!

Olá, depois de vermos um pouco sobre os ritos religiosos em algumas religiões é importante que entendamos que o rito é essencial em uma comunidade de fé. E cada um deve observar sua própria religião e perceber que esta está repleta de ritos. E desses ritos, os mais alegres, que animam as comunidades religiosas são as festas religiosas. Elas congregam pessoas, celebram acontecimentos importantes, reúnem famílias, enfim, são as festas religiosas que dão vida as religiões. Vamos conhecer um pouquinho sobre algumas festas das principais tradições religiosas do mundo. Quem quiser contribuir estamos abertos a sugestões.Por enquanto repassamos um texto tirado do site da wikipedia sobre a festa do RAMADÃ.




O Ramadão ou Ramadã também grafado Ramadan (em árabeرَمَضَان) é o nono mês do calendário islâmico. É o mês durante o qual os muçulmanos praticam o seu jejum ritual (suam, صَوْم), o quarto dos cinco pilares do Islão (arkan al-Islam)[1].
O jejum é obrigatório a todos os muçulmanos que chegam à puberdade. A primeira vez em que um jovem é autorizado a jejuar pelos pais constitui um momento importante na sua vida e uma marca simbólica de entrada na vida adulta[1], tendo em vista o que diz no Alcorão:
"... e aquele dentre vós que presenciou a Lua Nova deste mês (Ramadan), deverá jejuar, e aquele que se encontrar enfermo ou em viagem, jejuará depois o mesmo número de dias...". Alcorão Sagrado (Surat Al-Baqara - C.2, )
Há várias justificativas válidas para não jejuar: enfermidade, gravidez, lactante, menstruação, o idoso ou uma doença incurável. Se o jejuante comer, beber, ou tiver relação sexual durante o período do jejum, este será anulado. Caso este venha a quebrar inadequadamente seu jejum é obrigatório ao crente jejuar durante 60 dias seguidos.
O jejum é observado durante todo o mês, da alvorada ao pôr-do-sol, o jejum também aplica-se às relações sexuais. O crente deve não só abster-se dessas práticas como também não pensar nelas e manter-se concentrado em suas orações e recordações de Deus, sendo neste mês a freqüência mais assídua à mesquita. Além das cinco orações diárias (salá), durante esse mês sagrado recita-se uma oração especial chamada Taraweeh (oração noturna)[1].O jejuador deve abster-se de tudo que vai contra a moral, pois o jejum é visto como uma grande prática de disciplina e da doutrina, tanto espiritual como moral. A ação não se limita somente à abstinência de comer ou beber, mas também de todas as coisas más, maus pensamentos ou maus atos. O jejuador deve ser indulgente se for insultado ou agredido por alguém, deve evitar todas as obscenidades, ser generoso, bem mais do que os outros meses e aumentar a leitura do Alcorão.
EId al Fitr (Árabe: عيد الفطر) - ("o banquete do término do jejum"), ocorre quando a lua nova é avistada no céu, isto quer dizer que o mês deShawwal inicia-se, dando fim ao mês de Ramadan. No primeiro dia do mês deste novo mês, ocorrem feriados de 3 dias consecutivos. Está prescrito a distribuição de alimentos para os pobres, banquetes são servidos, presentes são trocados, roupas novas são vestidas e os agradecimentos a Deus são efetuados, congregando amigos e familiares. Em muitas cidades islâmicas grandes celebrações são realizadas para celebrar o EId al Fitr.




HANAMATSURI- FESTA DAS FLORES (no Budismo)



O festival das flores, Hanamatsuri, é realizado desde 1966 no bairro da Liberdade. É uma promoção conjunta da Federação das Seitas Budistas no Brasil (entidade que congrega as seis tradicionais seitas budistas) com a ACAL – Associação Cultural e Assistencial da Liberdade.
É realizada anualmente no mês de abril e celebra a data do nascimento do Buda Xaquiamuni. A imagem do pequeno Buda é exposto num altar decorado com flores, e as pessoas dão um banho nele com o chá doce.
No final do evento, um cortejo desfila pela rua Galvão Bueno, acompanhando um grande elefante branco sobre o qual está a imagem do pequeno Buda. O elefante branco teria aparecido num sonho da rainha, mãe de Xaquiamuni, anunciando o nascimento de Buda.

O texto abaixo foi escrito pelo monge Francisco Handa para a revista do 39º Hanamatsuri, que foi realizado de 4 a 9 de abril de 2005.

"Hanamatsuri

Segundo reza a tradição, o Buda Shakyamuni nasceu no quarto mês quando no céu surgia a lua cheia de primavera. Deslocando-se para o país de Koliya, sua terra natal, a rainha Mayadevi sentiu as pontadas do parto quando atravessava o Jardim Lumbini. Foi quando pediu para repousar, pois a viagem tinha sido árdua. Ao dobrar o corpo para deitar-se viu adiante uma flor que despontava num ramo. Foi neste instante que as contrações aumentaram e deu nascimento a um menino. Uma chuva de pétalas e néctar caiu naquele momento e dos cantos da terra se fez soar um brado anunàando a boa nova. Chamaram a criança de Sidharta.
Assim, repetindo o acontecimento os seguidores do budismo do mundo todos comemoram o Vesak, no Japão conhecido por Festa das Flores ou simplesmente Hanamatsuri. Ocasião de grande festividade, em que num altar decorado com tIores a imagem do Buda Menino é devidamente instalado. Aqueles que pretendem homenageá-lo, dirigem-se até o altar, e numa concha recolhem chá adocicado que é derramado sobre a cabeça do Buda. Repetem este movimento por três vezes, fazendo pedidos como a realização de sonhos; pedem saúde e proteção. Esta versão popular, muitas vezes é substituído por um motivo filosófico: ao se banhar o Buda, estamos banhando a nós próprios.
Assim, purificamos o nosso coração e podemos avaliar a nossa conduta perante a vida.
Uma cerimônia acontece em 8 de abril, dia do nascimento (ou data próxima), com os representantes de inúmeras tradições budistas, saindo em cortejo pelas ruas do Bairro da Liberdade - em se tratando do município de São Paulo.
Então, um andor com a imagem do Buda Menino é posto nas costas de um elefante branco. Crianças vestidas como os pequenos do Nepal, onde Buda nasceu, simulam puxar o carro em que vai o elefante. Atrás os monges de diversas tradições reúnem-se para acompanhar o cortejo.
Bem termina a cerimônia do nascimento de Buda, a população que veio prestigiar recebe de brinde ramalhetes.
Encerra-se com grande entusiasmo, principalmente com a oportunidade de comemorar o nascimento do Ser lluminado.
Não apenas daquele, mas de sua natureza em todos os seres vivos.
Fonte: www.culturajaponesa.com.br

Nenhum comentário:

A rocha no Caminho (para refletir)


Em tempos bem antigos, um rei colocou uma pedra no meio de uma estrada. Naquele momento ele se escondeu e ficou observando se alguém tiraria a imensa rocha do caminho. Alguns mercadores e homens muito ricos do reino passaram por ali e simplesmente deram a volta pela pedra. Alguns até esbravejaram contra o rei dizendo que ele não mantinha as estradas limpas, mas nenhum deles tentou se quer remover a pedra dali.
De repente, passa um camponês com uma boa carga de vegetais. Ao se aproximar da imensa pedra, ele pôs de lado a sua carga e tentou remover a pedra dali. Após muita força e suor, ele finalmente, com muito jeito, conseguiu mover a pedra para o lado da estrada. Ele voltou a pegar a sua carga de vegetais, mas notou que havia uma bolsa no local onde estava a pedra. Foi até ela e viu que a bolsa continha muitas moedas de ouro, e um bilhete escrito pelo rei que dizia: Todo obstáculo contém uma oportunidade para melhorarmos nossa condição...Pense Nisto... Aquele acontecimento que para você é tão horrível neste momento de sua vida, veio até você para ajudá-lo a crescer! Talvez ele seja a pedra para você ir em busca de algo mais, que pode levar você a uma vida melhor e a conseguir suas realizações!

Diversidade religiosa

Loading...

Para você refletir

A FLOR E O ARROZ

Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente, quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado. Ele se vira para o chinês e pergunta:

- Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o defunto virá comer o arroz? E o chinês responde:

- Sim, quando o seu vier
cheirar as flores.

Moral da História: "Respeitar as opções do outro, em qualquer
aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente. Portanto, nunca julgue. Apenas tente compreender