terça-feira, 20 de maio de 2008

Quatro Vedas do Hinduísmo

Os Quatro Vedas
. Os Vedas são escritos adequados para Brahmanas ou sacerdotes, mas há um conjunto de Escrituras igualmente consideradas védicas como o Bhagabad-gita, O Mahabharata (de onde saiu o Gita), bem como Ramayana. Além destes escritos há os Puranas, considerados obras populares, onde se encontram os princípios éticos e morais da filosofia do Sanatana Dharma.
Os Quatro Vedas
Os textos mais antigos da literatura hindu são constituídos pelos quatro
Vedas: o Rig-Veda, o Sama-Veda, o Yajur-Veda e, o Atharva-Veda. Muitos Hindus acreditam que os Vedas foram revelados aos Saptha Rishis pelo próprio Senhor e transmitidos por tradição oral, talvez, por 8000 anos (Fisher).O mais antigo livro dos Vedas é o Rig-Veda uma coleção de hinos poéticos utilizados em ritos sacrificiais na Religião Védica. A maior parte do Rig-Veda refere-se a oferendas a Soma que é tanto um psicotrópico como a própria divindade. Os deuses no Rig-Veda são principalmente personificações de conceitos cosmológicos e se dividem em duas categorias: os devas deuses da natureza, tais como Indra o deus da "Guerra" (tempestade / trovões), Agni ("fogo"), e Ushas ("alvorada"); bem como os Asuras, os deuses dos conceitos morais, tais como Mitra ("contrato"), Bhaga (guardião do casamento) e Varuna (senhor do Rta").O Rigveda, narrado em versos pelos doze grandes rishis, é composto por dez Mandalas e existe uma variação significativa na linguagem e estilo entre os oito primeiros e os dois últimos. Não é correto dizer que Indra e Varuna são os principais deuses, o Rigveda fala de um Único Deus (Ekam Sathyam Vipra bahuda Vadanthi). Os Vedas dizem que Deus, Ishvara ou Parabrahman permanece o mesmo, é imutável e não tem origem nem fim.O Rigveda descreve a gestão e a organização de toda a criação, atribui funções ou papéis de cada Deva. Há versos em louvor a Indra, mas o puranas explicam que Indra é o nome de uma função que pode ser ocupada por muitas personalidades. Em cada Manvantara Indra tem uma outra personalidade. Acredita-se que na próxima Manvantara, Indra assumirá a personalidade do Asura Rei Mahabali. O Rigveda, também, explica a origem dos sons e da língua

“A vida é uma passagem... nada levamos a não ser o amor de deixamos. O que fica de nós no mundo é a memória do amor dos outros. Porque nós somos a lembrança do amor do outro."
Swami Krishnapriyananda a.

Nenhum comentário:

A rocha no Caminho (para refletir)


Em tempos bem antigos, um rei colocou uma pedra no meio de uma estrada. Naquele momento ele se escondeu e ficou observando se alguém tiraria a imensa rocha do caminho. Alguns mercadores e homens muito ricos do reino passaram por ali e simplesmente deram a volta pela pedra. Alguns até esbravejaram contra o rei dizendo que ele não mantinha as estradas limpas, mas nenhum deles tentou se quer remover a pedra dali.
De repente, passa um camponês com uma boa carga de vegetais. Ao se aproximar da imensa pedra, ele pôs de lado a sua carga e tentou remover a pedra dali. Após muita força e suor, ele finalmente, com muito jeito, conseguiu mover a pedra para o lado da estrada. Ele voltou a pegar a sua carga de vegetais, mas notou que havia uma bolsa no local onde estava a pedra. Foi até ela e viu que a bolsa continha muitas moedas de ouro, e um bilhete escrito pelo rei que dizia: Todo obstáculo contém uma oportunidade para melhorarmos nossa condição...Pense Nisto... Aquele acontecimento que para você é tão horrível neste momento de sua vida, veio até você para ajudá-lo a crescer! Talvez ele seja a pedra para você ir em busca de algo mais, que pode levar você a uma vida melhor e a conseguir suas realizações!

Diversidade religiosa

Loading...

Para você refletir

A FLOR E O ARROZ

Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente, quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado. Ele se vira para o chinês e pergunta:

- Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o defunto virá comer o arroz? E o chinês responde:

- Sim, quando o seu vier
cheirar as flores.

Moral da História: "Respeitar as opções do outro, em qualquer
aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente. Portanto, nunca julgue. Apenas tente compreender